domingo, 19 de abril de 2015

Gerenciamento de Pequenas Marcenarias



(Texto escrito em Setembro de 2010 para a Comunidade do Orkut Marcenaria Moderna)

Pra mim temos que transformar a Marcenaria em uma linha de produção de Móveis Projetados. Para isso abolimos aquele molde de um Marceneiro sozinho fazer o serviço de cabo a rabo. Passamos a trabalhar em grupo. Quanto maior a produção e maior for o número de funcionários menor a quantidade de tarefas a serem desempenhadas por cada indivíduo. (Porém é recomendável a rotatividade de tarefas entre os funcionários por questão de segurança e para que um seja capaz de cobrir o outro em eventuais faltas. Tarefas repetitivas tendem a causar acidentes).

Vamos começar com a Organização da Linha de Produção aos meus olhos:

1 – Planejamento: Um Marceneiro/projetista com um bom conhecimento técnico pega o projeto que o vendedor fez e passa para a linguagem de produção que deve ser padronizada para o entendimento de todos. Se puder fazer projetos técnicos, lista de peças com plano de corte, ótimo! Mas se não dispõe de todos os recursos não é necessário. Pode-se fazer um rascunho com as medidas e lista de peças com descrição para o corte a mão livre mesmo. É até melhor por não perder tempo com frescuras. O que é importante é passar as informações corretamente. É melhor fazer módulo por módulo para facilitar a montagem. É função desta pessoa elaborar a lista de material e fazer o pedido. Mas nunca esquecer de verificar as sobras antes. É bom anexar o projeto visual junto com o resto do planejamento para guiar aonde vai ter acabamento e a montagem das peças. Usar o serviço de corte dos fornecedores muitas vezes facilita muito a produção.

2 – Corte: Na falta de um plano de corte elaborado, é função do operador de máquina fazer o melhor aproveitamento da chapa, usar as sobras e marcar as peças. Usar etiquetas é legal, mas pode ser no lápis mesmo. Cortes especiais, ângulos e curvas normalmente é função do Marceneiro/projetista.

3 – Acabamento: Antes de começar o acabamento é necessário que o Marceneiro/projetista marque os topos e faces e o tipo de material a ser usado. É importante que a pessoa encarregada pelo acabamento já limpe as peças antes da montagem. Nem pensar em limpar as peças na casa do cliente.

4 – Pré - Montagem: Esse é o ponto mais importante para agilizar o processo produtivo. A melhor jogada é montar tudo o que é possível e testar todas as ferragens e vidros na Marcenaria. Mesmo que for por conta do Cliente comprar os puxadores e as ferragens especiais é interessante pedir que ele forneça estas peças antes para o teste. Mesmo nos dormitórios é necessário montar tudo antes, principalmente as portas e puxadores. As peças e ferragens difíceis de montar é função do Marceneiro/projetista. Para a montagem dos móveis em MDF é necessário basicamente uma furadeira com uma broquinha de 2,5mm, parafusadeira, parafuso 3,5mm x 35mm para montagem face x topo, parafuso 3,5mm x 25mm para reegrosso de chapas de 15mm. Furando com essa broquinha e usando esses parafusos não é necessário escariar. A parafusadeira no torque certo já afunda o parafuso no ponto certo para colar o tapa-furo adesivo.
                                                             
5 – Embalagem: Este é um diferencial enorme. O rolo de plástico bolha custa em média R$40,00 e pode ser reutilizado umas duas vezes. O papelão sanfonado aliado ao plástico bolha fica melhor ainda. É importante desmontar todas as ferragens que possam danificar as peças no transporte. Nunca embalar muitas peças juntas para não se esforçar desnecessariamente na entrega. Nunca colar a fita adesiva diretamente na peça para evitar estragar a mesma ou ter que limpar a cola que não sai fácil. Marcar a descrição das peças com etiqueta é uma boa para orientar a montagem.

6 – Transporte e entrega: Pra quem não tem um veículo apropriado é melhor terceirizar o serviço do que levar de picado. Mas um veículo com uma Kombi, por exemplo, e um salão no nível da rua que possibilite carregar tudo no dia anterior a entrega é a melhor jogada. Muitas vezes a montagem é prejudicada por conta de esquecimentos. Tanto de peças quanto de ferramentas. Para isso contagem de itens e caixa de ferramentas só pra montagem é a jogada. Na entrega carregar sempre as peças grandes e compridas em dois para evitar de estragar as peças e a casa do Cliente. Sem pressa! É impossível uma pessoa sozinha vigiar as duas pontas de um fianco, por exemplo.

7 – Montagem: Essa é a principal etapa! E é por isso que a pessoa mais experiente da empresa deve estar presente. Nas empresas pequenas essa pessoa pode ser o Marceneiro/projetista. É interessante deixar os detalhes para o final ou para a segunda visita. Primeiramente fazer volume e deixar os arremates pra depois. Nas cozinhas é interessante levar um sarrafo para apoiar o peso na montagem dos armários aéreos. Fazer seu ajudante ficar segurando o peso é uma comédia! Use um macaco de carro ou sarrafinhos nos gabinetes e balcões também. Para saber onde furar primeiramente perguntar ao cliente. Caso não obtenha a informação use a regra da cruz nos pontos de água e energia visíveis. Verifique também o que tem do outro lado da parede. Mas sempre ande com um tapa-furo de cano e cola na caixa de ferramentas. Passar massa corrida ou acrílica nas fendas entre a parede e o móvel dá um aspecto muito melhor. Mesmo que não dure muito tempo vale a pena. Tente resolver tudo o que for possível na obra. Leva e trás de peças não é muito profissional.


Como podemos observar a pessoa mais importante na empresa é o Marceneiro/projetista. Normalmente nas empresas pequenas essa pessoa é o dono e nas grandes é o encarregado de produção. Aquela ideia antiga de patrão e encarregado que só sabe mandar e xingar já era. Hoje em dia este indivíduo é o que mais trabalha na empresa e por isso ganha mais e deve ser valorizado. É essa pessoa que possibilita existir uma linha de produção de móveis projetados sob medida. Um dos grandes motivos das Marcenarias não crescerem é que todo mundo quer mandar, mas ninguém quer fazer. Mas a melhor jogada é com o tempo e com o desenvolvimento de cada funcionário o Marceneiro/projetista delegar cada vez mais as funções complexas a eles. Centralizar não é lucrativo e impede o crescimento da empresa. Mas querer que os funcionários se virem sozinhos é prejuízo na certa. A fórmula a ser usada deve ser flexível e ir se adaptando ao momento, ao serviço específico e a necessidade do Cliente.


Obs.: Obviamente já mudei muita coisa no sistema produtivo da minha empresa de lá pra cá!!!



(MARCENEIRO)