sábado, 25 de abril de 2015

[Debate] Que tal ressuscitar o Post-Fórming? Que tal voltar à Marcenaria Tradicional???



Esse debate está girando em pleno vapor no grupo Marcenaria BRASIL...

Quem não conhece o Post-Forming vale à pena entrar neste link da Fórmica para entender melhor do que se trata: http://www.formica.com.br/pro_postforming.htm

Minha definição do que é marcenaria tradicional é bem simples: Móveis confeccionados com Compensado, Folhas Naturais, Folhas Pré-Compostas, Painéis Sarrafeados, Fórmica (Laminado Melamínico de Alta Pressão), Seladora, Verniz Nitro, Verniz PU, Madeira Maciça, etc...

Passou a época das vacas gordas e atualmente estamos enfrentando uma crise enorme no mercado. Vendas em baixa e inadimplência preocupante... É neste contexto que a pequena marcenaria precisa aproveitar toda sua flexibilidade para sobreviver e até lucrar com a crise.

Para piorar ainda mais o cenário, eis que os grandes magazines estão entrando com tudo neste mercado de planejados, concorrência esta que pode esmagar os pequenos, pois será impossível competir com os preços e condições de pagamento que eles vão ofertar, e mesmo o marceneiro ofertando uma qualidade superior e flexibilidade de projeto isso pode não ser argumento o suficiente para concorrer com esses peixes grandes.

Sendo assim uma das saídas que já está se tornando tendência é a volta para a Marcenaria Tradicional como diferencial na concorrência contra estes gigantes, vamos ir onde eles não conseguem ir, fazer o que eles não conseguem fazer, simples assim!

Há tempos é questionado se a marcenaria não abriu mão de seu maior diferencial diante a concorrência dos modulados quando abraçou o MDF como principal insumo. Pois bem... O que outrora pode ter sido a salvação, hoje pode se tornar sentença de morte.

No desenrolar do debate gerado no grupo vocês podem perceber a divergência de opiniões, situação esta que era totalmente previsível tendo em vista que a facilidade da produção com o MDF é indubitável, mas um defensor da Marcenaria Tradicional se destacou se mostrando um verdadeiro poeta. hehehe Gostei tanto dos textos que ele postou que vou documentar aqui neste post pra ficar arquivado. Este camarada é o Antonio Carlos Carvalho!!!

Segue os textos que ele postou no tópico do grupo:

O Resgate da Marcenaria

É injusto se pensar apenas em móveis e coisas do gênero quando se fala em marcenaria. Podemos afirmar categóricamente que a marcenaria foi a grande roda (e digo isso literalmente, se
atentarmos para os primeiros guindastes erigidos) que amparou, moldou e mudou o mundo. Se repaginarmos a história observaremos que a marcenaria teve papel elementar na maioria das grandes e maravilhosas invenções e engenhosidades que hoje nos cercam.

Bem antes das magníficas descobertas entranhadas na terra como o ferro, o petróleo...a marcenaria já lhe era exuberante e frondosa, convidando seus escolhidos à imaginar, expôr e configurar suas incríveis e extraordinárias idéias e engenhosas invenções. Por séculos a marcenaria rasgou os mares, removeu limites, reinou nos castelos, concedeu seu trono à príncipes e reis, encorajou exércitos, produziu sons inesquecíveis, emfim - sem falar na sua maior façanha: A arca de Noé!

É injusto que os grandes nomes escolhidos pela marcenaria sejam reconhecidos e lembrados apenas como mestres-artesãos marceneiros; por tais feitos, a marcenaria não deveria ser esquadrinhada como arte e sim como ciência.

Hoje, existe uma forte indústria de transformação sendo equivocadamente conhecida como marcenaria. A marcenaria é companheira inseparável do talento nato e como rainha exigente que é, não se dá à quem de fato não a queira, portanto, um viva à marcenaria!

Imagine: Se a história sobre o cavalo de Tróia foi de fato real, podemos dizer que esta foi provavelmente uma das maiores proezas da história da marcenaria.

Antonio Carlos Carvalho



[Poesia]: A Árvore de Mil Anos

Lenhador matou uma árvore,
Vou levar para queimar!
Marceneiro ouviu a queda, correu, tentou salvar.
Entristecido falou:
Lenhador porquê matou!?
- Não tive intenção de matar,
Arrependido estou, já não posso consertar!

Lenhador chorou e disse:
Se eu pudesse voltar atrás, jamais faria isto!
Marceneiro desabafou:
Cem anos se passaram até este dia chegar...
D'um golpe desnecessário se fez tudo desabar!

Qual motivo e qual razão lenhador pro machado afiar!?
Quão majestoso tronco tombou!
E o tempo, o que dirá!?
Ergueu seu braço contra mim! ...
Fez meu capricho cessar;
Tanto trabalho eu tive e nisso que veio dar!?

- Lenhador eu sou o tempo!
E agora o que fará!?
Pavor e grande medo fez lenhador desmaiar...
Marceneiro correu depressa pra ajudar lenhador,
E ao tempo disse:
Sê com este como foi com ela... Ergue-o novamente.

Lenhador abriu os olhos... Sonho terrível tive...
Percebeu em seu lugar a falta do magnífico tronco
Que de pequeno viu criar
- Maldito seja o machado que este tronco fez tombar,
Seja também o seu braço que daqui o carregar.

- Lenhador não diga isso porque maldito será...
Lenhador de olhos tristes fez-se o juízo chegar...
Marceneiro me ajude, como posso reparar...
Desfiz o trabalho do tempo, me ajude a consertar...

Tempo me perdoe, como posso te alegrar
- O tempo lhe sorriu e disse: O marceneiro dirá!
- Seja o machado e o teu braço que maldito foi,
Abençoado será...

Levemos ao lugar de talento e um móvel se fará...
Assim se fez os cem anos, aos mil anos chegar.

Antonio Carlos Carvalho

Postado inicialmente no Blog: http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=1117&cdPoesia=10336