domingo, 25 de janeiro de 2015

[Estudo inicial] Metodologia para Pequenas e Médias Marcenarias



“A inteligência de uma pessoa é medida pela qualidade de suas perguntas, e não pelas suas respostas.” (Sei não quem disse isso! rsrsrs)

Problema:

            Criar uma Metodologia Projetual e de Trabalho específica para Marcenarias de pequeno porte que trabalham com Móveis Projetados sob Medida focando soluções adaptadas ou criadas para cada problema, cada projeto, cada Cliente.

Subproblemas:

            # É realmente necessário possuir uma metodologia projetual única ou deixar cada profissional criar seu próprio método?
            # Seria melhor criar uma metodologia básica que servirá apenas para treinar os novos projetistas e nortear sua evolução deixando ele livre para criar sua própria metodologia e focar apenas nos resultados?
            # Treinar projetistas com ou sem experiência no Ramo?
            # Caso seja com experiência, focar em Profissionais de Interiores ou Projetistas Vendedores que trabalham com modulados?
            # Treinar um profissional completo que seja capaz de criar, vender e soltar o pedido na produção ou separar quem cria e vende de quem possui conhecimento técnico para comandar a produção?
            # Contratar ou formar parcerias?
            # Pagar fixo + comissão? Quanto? Premiações? Como e o quê? Benefícios?
            # Quais os limites que se deve estabelecer para as propostas deste colaborador?
            # Devemos focar só na venda de móveis ou devemos fornecer soluções englobando tudo o que é correlacionado aos móveis?
            # Que tal focar inicialmente apenas nos móveis e ir inserindo outros produtos e serviços aos poucos?
            # Devemos montar um Escritório com ShowRoon para o vendedor projetista?
            # O projetista técnico deve ficar dentro da Fábrica acompanhando a execução e propondo novas soluções técnicas caso a ideia inicial não funcione?
            # Qual o limite da participação do Cliente no processo criativo?
            # Qual o melhor programa de geração de imagens 3D para esta metodologia?
            # Todos os colaboradores devem usar o mesmo Software?
            # É interessante que este Software possua um leque de módulos, componentes e blocos criados e adequados ao sistema de produção da empresa para agilizar o ato de projetar e evitar que o projetista fique perdendo tempo reinventando a roda?
            # O que deve e o que não deve ser padronizado? Esta padronização deve ser rígida ou flexível conforme necessidade?
            # Devemos dividir equipes em especialidades? Comercial, corporativo e residencial?
            # Seria melhor delegar os serviços mais complexos aos mais experientes ou não fazer distinção entre os colaboradores? (Serviços atraídos através de Marketing direto).
            # Quem deve acompanhar a obra/montagem e ficar responsável por resolver as variantes?
            # Os prejuízos decorrentes de erros nos projetos devem ser divididos com os colaboradores ou absorvidos pela empresa para não podar as iniciativas criativas dos mesmos?
            # Quem ficará responsável em gerar os orçamentos e ditar os limites dos descontos e agrados?
            # Caso o Cliente fique descontente com o andamento e resultado da obra, qual o procedimento e quem ficará responsável de resolver o impasse?
            # Quem ficará responsável de supervisionar toda a equipe?
            # Quem ficará responsável de lidar com os outros prestadores de serviço (parcerias)?
            # Cada Vendedor Projetista ficará livre para formar as próprias parcerias ou só a empresa poderá selecionar e contratar?
            # Será permitido o vendedor projetista pegar serviços por fora?
            # Como ditar prazos dentro de um contexto tão complexo?
            # Devemos focar em apenas um perfil de clientes ou deixar o vendedor projetista livre para encontrar seu próprio nicho de mercado?
            # Devemos focar o marketing sobre o nome da Empresa ou promover o nome do Vendedor Projetista para incentivar o boca-a-boca, indicações?
            # Devemos abrir mão da ligação empresa x cliente correndo o risco de perder a carteira de clientes deste vendedor caso este seja desligado da empresa?
            # Devemos correr riscos e fazer experimentações para com o decorrer do tempo identificar o que funciona ou devemos manter uma postura contida deixando situações mais complexas a cargo do Cliente resolver?
            # Trabalhar com o regime de metas ou deixar os colaboradores livres para criar sem pressão?
            # Como fica a questão dos horários (hora extra) partindo do princípio que a maioria das visitas são marcadas fora do horário comercial e finais de semana?
            # Devemos obrigar os colaboradores a ficarem no escritório fazendo plantão ou deixar um atendente apenas para fazer um pré-atendimento e agendar a visita do vendedor projetista à obra;
            # Devemos fazer orçamentos baseando-se apenas na planta da obra trazida pelo cliente em visita ao escritório?
            # Devemos cobrar para fazer as imagens 3D?
            # É interessante usar sistemas de geração de imagens e orçamentos automáticos para facilitar as cotações? Ou para este tipo de atuação dinâmica isto é perda de tempo?
            # Só o vendedor projetista que fez o contato inicial com o Cliente deve acompanhar e resolver todos os problemas da obra ou seria melhor trabalhar em equipe?
            # Mesmo que o trabalho seja em equipe não seria interessante ter apenas um porta voz que ficará responsável em lidar com aquele Cliente em específico para não ter sua autoridade e importância no projeto abalada?
            # Cada vendedor projetista será obrigado a possuir seu próprio veículo, not e software ou a empresa fornecerá toda a estrutura? Gasolina? Manutenção? Etc?
            # Devemos promover a união entre os vendedores ou a competição?
            # As idéias e produtos gerados em todo o processo devem ser de propriedade da empresa e deve ser dividida entre todos os vendedores projetistas ou deve ser exclusiva do profissional e do serviço específico?
            # Seria interessante forçar o Vendedor Projetista trabalhar em dupla com um aprendiz para que este seja preparado para substituí-lo ou assumir outra vaga?


Metodologia Projetual:

            Método Modular

            Todo o método modular consiste em trabalhar com soluções pré-elaboradas e “brincar de quebra cabeça” tentando adaptá-las ao problema do cliente. O Projetista possui uma variação de módulos e medidas onde cabe a ele escolher e encaixar no espaço as melhores opções. Quanto menos opções existir mais engessado se torna o trabalho deste profissional e mais distante de uma solução real o projeto se encontra.
            Buscando resolver ou pelo menos diminuir este problema, as melhores marcas de modulados criaram os módulos editáveis e algumas lojas montaram oficinas de marcenaria para assumir este papel.
           
            Método Aleatório

            Digamos que a maioria das marcenarias utiliza este método onde cabe ao Projetista identificar as limitações da empresa e criar as soluções dentro deste contexto. 

(Estudo inacabado... Aceitamos contribuições! hehehe)

MARCENEIRO
www.marianomoveis.com.br


(Atualização Complementar – 26/01/2015)

Postei o link desta estudo inicial no grupo do designer Paulo Oliveira (que já participou aqui do nosso Blog) para provocar os amigos designers. Hehehe
Para minha surpresa quem me respondeu primeiro foi uma arquiteta. Rsrsr

Gosto tanto das “bíblias” que a Arq. Lise Noebauer posta como réplica às minhas provocações “facebookianas” que desta vez vou fazer a questão de atualizar esta postagem com esse adendo de autoria dela para ficar arquivado no histórico.


Arquiteta e Urbanista
de Florianópolis - SC
Formada pela Universidade 
Federal de Santa Catarina - UFSC

“Mariano, processo de projeto é um tema já bastante estudado nas pós-graduações mundo afora, e as pesquisas mais antigas datam, se não estou muito enganada, da década de 50. Isso não significa que o assunto está esgotado, muito pelo contrário. O número que me pareceu quase infindável de perguntas que tu levantaste me parece indicar o fato.
Aliás, acredito que vários dos questionamentos apresentados não se referem a processos de projeto e sim a questões administrativas. Acho que um primeiro passo para começar uma elucidação do tema seria justamente separar as coisas. É verdade que em algumas das questões o limiar será tênue, mas a divisão é necessária, nem que seja puramente para atender uma demanda da pesquisa levantada.

A boa nova é que uma vez levantadas às questões realmente pertinentes ao assunto a ser estudado, poderás entrar nos ambientes de pesquisa (bibliotecas, sites de pós-graduações, Google Acadêmico, etc) e, assim, colocando palavras chave (palavras que realmente se destaquem dentro das questões selecionadas), fazer uma busca simples... e ohhhh: vai surgir um sem fim de referências para que possas ler e ir montando o quebra-cabeças. Serão livros, dissertações, teses, artigos de periódicos, sites, blogs, etc. As áreas que serão o berço desses estudos provavelmente serão o design, a arquitetura, a administração e o marketing. Isso significa que não vais partir do zero.

Um exemplo de pesquisa: Poderias iniciar pesquisando processo de projeto de uma forma ampla e ir afunilando o tema para processos de projeto em ambientes de marcenaria sob medida. Vais achar preciosidades. Só não pode achar que levará pouco tempo ou trabalho. Mas vais descobrir coisas importantes.

Minha dissertação de mestrado está em andamento. O tema é processo de projeto. Mais especificamente processo de projeto arquitetônico, é claro. E mais especificamente, processo colaborativo de projeto. Inclui um aproveitamento dos estudos existentes em APO - avaliação pós-ocupação e tecnologia digital no auxílio da decodificação do projeto para o usuário compreender, visando aumentar assim, a sua colaboração ou participação no processo de projeto.”
(Lise Noebauer)

Fonte deste debate: (Clique aqui para saber mais)